Cannabis e os impactos psiquátricos da maconha

Recentemente foi publicado o mais importante artigo científico sobre o Cannabis, mais precisamente sobre a maconha e seus impactos na saúde mental. A maconha é considerada um commodity na sociedade moderna, uma vez que seu consumo ultrapassa os 190 milhões de usuários no mundo e é permitido em diversos países como Holanda, na Europa, e Uruguai, na América Latina. A partir desses dados, foi possível realizar uma revisão sistemática da literatura em relação aos trabalhos anteriores.

Por meio deste estudo, verificou-se que a substância psicoativa presente na Cannabis, o THC – tetrahidrocanabinol – é responsável por sintomas psicóticos, elevação dos níveis de ansiedade, sintomas de paranoia, agitação, alucinações e, até mesmo, aumento da violência. Além do mais, os usuários tendem a buscar na mesma substância níveis maiores de concentração para obter os mesmos efeitos adquiridos anteriormente. O consumo do THC gera, portanto, um prejuízo significativo à saúde mental, levando a sintomas de transtornos psiquiátricos agudos.

Por outra via, é possível extrair da mesma Cannabis a substância CBD – ou canabidiol – que hoje já representa uma alternativa de tratamento para algumas doenças específicas. Também existem pesquisas atuais que sinalizam para o uso do CBD para o tratamento de transtornos gerados pelo pelo consumo da própria maconha.

Acessar artigo original Psychiatric symptoms caused by cannabis constituents: a systematic review and meta-analysis

Leia também Mecanismo do vício no cérebro.