Empatia é ainda mais contagiante

Em momentos de tensão generalizada motivada por fenômenos negativos como a pandemia de Covid-19 é importante ficar atento à nossa saúde e à saúde das pessoas queridas. Mas e quando a proximidade física com os demais é o que realmente nos resguarda?

Neste momento de quarentena é importante ter claro que a doença não tem relação com qualquer etnia ou nacionalidade. Sendo assim, não há tempo nem espaço para preconceitos. Trata-se de uma crise sanitária de proporções ainda desconhecidas. Pessoas que se infectaram não fizeram nada de errado e precisam de compaixão e apoio. Não é bom que se refira a pessoas com a doença como um “caso de Covid-19” ou “vítima” e, menos ainda, “família de Covid-19″, “adoentados”. Além do fato de que, depois de recuperados seguirão suas vidas normalmente em família ou qualquer que seja seu meio social.

Saudável neste período de afastamento físico é, além de tomar todos os cuidados para não se expor ao vírus, auxiliar os outros nos momentos de necessidade. Telefonar para vizinhos e pessoas próximas para tranquilizar e disponibilizar-se, pode trazer uma sensação de bem-estar e união na comunidade.