Hipocondria e a crença no diagnóstico de doenças graves

A convivência com a possibilidade do diagnóstico de uma doença grave é algo que atormenta a vida dos hipocondríacos

A hipocondria consiste na crença recorrente de que determinados sintomas são sinais de alguma doença grave. Geralmente, quando investigados por um profissional médico não representam qualquer ameaça. Esse transtorno atinge igualmente homens e mulheres e costuma se agravar em períodos de estresse e de tensão. Em certos casos o paciente tem consciência de que seu medo em relação a ter alguma doença é irracional, mas ainda assim, são incapazes de controlá-lo.

A convivência com a possibilidade do diagnóstico de uma doença grave é algo que atormenta a vida dos hipocondríacos. Em alguns casos, procuram exaustivamente a opinião de médicos a respeito de seus sintomas. Em outras situações, a pessoa sente tanto medo do possível diagnóstico que acredita que nenhum médico poderá salvá-la.

As preocupações mais recorrentes dos hipocondríacos envolvem possíveis doenças do aparelho digestivo ou do coração. Quando não são diagnosticados com nada daquilo que acreditavam ter, creem que seus sintomas não foram bem investigados.

A automedicação é um dos principais riscos pelo quais os hipocondríacos se submetem. A pressão dos paciente faz com que o médico, em busca de respostas, peça exames cada vez mais invasivos. Ainda por causa das possíveis doenças, o hipocondríaco pode deixar de realizar atividades que considera nociva.

Tratamento: como ajudar um hipocondríaco

O tratamento para hipocondria envolve o uso de remédios, mas como não existe medicação específica, costuma-se receitar antidepressivos e ansiolíticos. De qualquer forma, a psicoterapia ajuda bastante para todos os casos.

Hipocondríacos se sentem melhor só de serem ouvidos. Se você convive com um, o ideal é ouvir as reclamações sem se deixar levar. Isso basta para diminuir os sintomas. Nos casos mais graves, tente introduzir o assunto de maneira leve, um pouco a cada dia. Hipocondríacos entendem de doenças e terão uma dezena de argumentos para dizer que não são hipocondríacos.