Mania de perseguição, da timidez à esquizofrenia

Sintoma comum a várias doenças, a mania de perseguição refere-se à desconfiança exagerada que leva o paciente a posicionar-se no centro do mundo. Também conhecido como mania de perseguição, nos casos mais leves o problema pode ser apenas uma característica da timidez.

Mas o aparente lugar de destaque assumido por quem sofre de mania de perseguição não é um local agradável. Apesar de ser normal suspeitar ser o alvo das conversas alheias vez ou outra, quando a suspeita passa a interferir no comportamento social do indivíduo, a reação passa a ser nociva.

A causa direta de uma mania de perseguição é a baixa autoestima. A falta de confiança em si próprio leva o paciente passe a acreditar que ele é o causador de todos os problemas do mundo, e que todos sabem disso. Sensação de ser constantemente observado, motivo de gozação, vítima de conspiração ou de rejeição, são indícios de baixa autoestima. O pensamento é comum em ambientes corporativos de grande competição, que facilitam o surgimento do estresse. Na busca por garantir seu espaço, o indivíduo passa a comparar-se excessivamente com os colegas, exagerando na autocrítica.

Entre as doenças que podem ter a mania de perseguição como sintoma um de seus sintomas são estresse pós-traumático, síndrome do pânico, depressão, paranoias diversas e, nos casos mais graves, esquizofrenia. Mas sentir-se permanentemente observado, enganado, excluído, traído ou perseguido pode ser apenas timidez. O receio de desaprovação da personalidade tímida, comumente associada à baixa autoestima, vem de uma necessidade inconsciente de ser o centro das atenções. Contudo, ao imaginar ser vítima de avaliações consecutivas e com medo da rejeição, o tímido tende a isolar-se, pois prefere o ostracismo a uma reprovação.

Tratamento para mania de perseguição:

Nos casos classificados como leves e moderados, dormir bem, realizar esportes e cultivar relações estimulantes, elevam a autoestima e aliviam a mania de perseguição. Atitudes como essas desvirtuam o pensamento do problema. Quando possível também é aconselhável buscar a confirmação das impressões com alguém próximo, na tentativa de descobrir se o tema da conversa justifica a mania de perseguição.

É importante acompanhar a evolução do problema, no caso de a mania de perseguição ser apenas um sintoma de doenças mais graves é imprescindível buscar a ajuda profissional de um psiquiatra.

Veja entrevista com o psiquiatra Dr Abelardo Ciulla sobre mania de perseguição.