Mitomania: a necessidade de mentir

Mitomania é um traço de personalidade que leva a elaboração compulsiva de mentiras. Entretanto, não todas elas têm, necessariamente, a finalidade de tirar vantagens. Muitas delas são criadas com o intuito de ser socialmente melhor aceito, ou seja, para que pareçam “mais legais”. Dessa forma, a mentira patológica é crônica e não requer nenhuma situação especial.

Geralmente, as histórias criadas pelos mitômanos têm um fundo de verdade e são ricas em detalhes, o que dificulta o diagnóstico. Somente pessoas muito próximas reparam que se trata de acontecimentos supervalorizados. O indivíduo que sofre de mitomania raramente pede ajuda, pois num primeiro momento suas mentiras não pretendem prejudicar os outros. É fundamental estar sempre ao lado do paciente, principalmente quando ele recorre a parentes ou amigos, apoiando-o irrestritamente, pois o contrário pode aprofundar ainda mais os sintomas de angústia e ansiedade que originaram o problema.

A principal causa da mitomania é o desejo de aceitação e medo da rejeição. As mentiras o fazem sentir-se bem consigo mesmo, sendo mais favorável acreditar na realidade criada do que na verdadeira. Mesmo sabendo que o que está dizendo não é totalmente verdadeiro, para um mitômano, acreditar na mentira é também uma forma de consolo. Pacientes com mitomania, muitas vezes, sofrem também de angústia profunda, transtorno obsessivo-compulsivo, depressão, transtorno ansioso ou de humor.

O indivíduo com mitomania costuma ser relutante em admitir a mentira, mas muitas vezes o faz. Em casos mais graves, nem mesmo a própria pessoa consegue lembrar o que é verdade e o que é invenção. O problema não pode ser diagnosticado precocemente, sendo importante diferenciá-lo, por exemplo, de falsas memórias, quando várias pessoas têm lembranças diferentes do mesmo fato, o que é comum e não é uma doença. A mitomania não deve ser confundida também com esquizofrenia, delírios ou outras psicoses onde a visão distorcida da realidade é caracterizada por alucinações.

Tratamento para mitomania:

A mentira rotineira pode levar o mitômano a não mais refletir sobre seus atos e sua motivação. Tornando-se, assim, cada vez mais perigosa para si e para os outros. A intenção de receber tratamento para mitomania pode manifestar-se quando o paciente percebe que está prejudicando, mesmo que involuntariamente os demais, e passa a sentir remorso.

O tratamento psiquiátrico pode tratar diretamente as causas da mitomania, com medicamentos para depressão e ansiedade. A reflexão sobre os próprios comportamentos, o desenvolvimento de mais autocontrole e o aumento da autoestima também devem ser desenvolvidos para que o paciente possa permitir-se dizer a verdade.

Acima de tudo, tanto na relação com o médico quanto com amigos e familiares, o indivíduo que sofre de mitomania precisa sentir confiança em seus círculos, uma vez que é a falta desse sentimento que o leva a mentir, em primeiro lugar.