Níveis patológicos da ansiedade que devem ser observados

foto em p e b de pessoa jovem do nariz para baixo onde apoia a cabeça nas mãos enquanto sutilmente insere um dos dedos na boca para roer unha, dando sina de estar ansioso

Provocada pela grande excitação do sistema nervoso central, a ansiedade ocorre antes de momentos de perigo real ou subjetivo. Esse sentimento é decorrente de uma descarga de um neurotransmissor chamado noradrenalina, produzido nas regiões suprarrenais, nos lócus cerúleos e no núcleo amigdaloide.

Apesar de ser algo comum por conta de uma rotina estressante ou por uma série de situações vividas, quando a ansiedade aparece com muita frequência ou intensidade pode afetar drasticamente as ações e reações cotidianas de um indivíduo. Entre os dois principais tipos patológicos da sensação estão o transtorno de pânico e o transtorno de ansiedade generalizada.

O transtorno de pânico é caracterizado pelo intenso medo de morrer e mal estar, com sintomas como aumento das frequências cardíaca e respiratória, ressecamento da boca e falta de ar. Além disso, atinge altos graus ansiosos nos momentos mais graves, conhecidos como crise do pânico, que podem causar também suor excessivo e visão turva.

O transtorno de ansiedade generalizada é uma forma patológica da ansiedade que tem como principal característica a preocupação excessiva ou expectativa apreensiva por alguma situação, mesmo quando não há motivos para isso. A crise pode estar associada a outras doenças, como o refluxo gastresofágico, complicações cardíacas e na tireoide, além de possivelmente estar ligada ao estado de menopausa.

Outros indicativos da ansiedade generalizada são tensões musculares, problemas estomacais, fadiga, irritabilidade, inquietação e dificuldade para dormir. O tratamento para essas duas formas da doença é feito através da combinação da psicoterapia e do uso de medicamentos específicos.

A terapia indicada para problemas psicológicos busca restabelecer o bom funcionamento psíquico do paciente, fazendo com que ele compreenda as causas dos seus problemas e possa encontrar a melhor forma de lidar com eles, além de substituir os pensamentos causadores de aflição e pânico. A técnica também recomenda que sejam evitadas drogas ilícitas e cafeína, que podem agravar as crises de ansiedade.