Transtorno Bipolar: fatores desencadeantes

De modo geral, o transtorno afetivo bipolar se manifesta tanto em homens quanto em mulheres, e costuma ser identificado entre os 15 e 25 anos. A causa efetiva da doença ainda não foi totalmente determinada, no entanto, sabe-se que existe importantíssimo componente genético, alterações significativas em áreas do cérebro e nos níveis de neurotransmissores.

O diagnóstico do transtorno bipolar é clínico-comportamental, ou seja, busca-se na história do paciente, bem como, relatos de pessoas próximas como um amigo, sintomas que tenham relação com as oscilações de humor e reações exageradas. O tempo de conclusão para o diagnóstico leva em média dez anos, uma vez que seus sintomas podem ser confundidos com outros de outras doenças mais pontuais, como síndrome de pânico, depressão, ansiedade e esquizofrenia.

O transtorno bipolar é caracterizado principalmente pela oscilação de humor entre os estados de euforia (mania ou hipomania) e depressão. Embora  não tenha cura, o transtorno bipolar pode ser controlado por meio de medicamentos, psicoterapia e mudanças no estilo de vida, podendo o paciente possuir uma qualidade de vida plena. No entanto, quando não tratado, o transtorno bipolar tem alto potencial de prejuízo ao paciente e aos familiares, sendo esta a doença que mais causa suicídios, segundo a ABTB (Associação Brasileira de Transtorno Bipolar).