Transtorno de esquiva, a timidez exagerada

Transtorno de esquiva é um distúrbio psíquico caracterizado pela timidez exagerada e inibição social eminente. O medo mais marcante neste transtorno é o receio ser ridicularizado.

Indivíduos com transtorno de esquiva tendem a se sentir incapazes, tendo muita dificuldade para lidar com críticas sobre seu comportamento. Os pacientes vítimas do transtorno tendem a ser mais reclusos e preferem ficar sozinhos e isolados, a fim de evitar situações humilhantes em potencial.

O diagnóstico e o tratamento do transtorno de esquiva devem ser feitos com a observação e o acompanhamento da família, dos amigos e colegas, além de acompanhamento psicológico de modo a entender e amenizar os sintomas que levam ao sentimento de angústia. São as reações em situações cotidianas e atípicas que determinam a doença, bem como o grau do transtorno. É preciso prestar atenção nas atitudes, na forma de pensar mediante situações novas e de pressão, levando em consideração, claro, as singularidades e o contexto em que cada pessoa está inserida.

Durante o tratamento do transtorno de esquiva, busca-se as origens do problema que, não raro, é consequência de experiências traumáticas do seu desenvolvimento. Além disso, gradativamente o contato social do paciente é estimulado, bem como, em alguns casos, a terapia com medicamentos pode ajudar nos sintomas mais graves de ansiedade e reduzir a inibição social para que assim se tenha uma vida mais plena.