Tratamento de Fobia Social

Algo que desencadeia um medo persistente e irracional a partir de uma situação ou objeto específico é o que conhecemos por fobia. O tipo de medo extremo que acontece em razão da exposição a pessoas estranhas ou situações desconfortantes é conhecido como fobia social. A crise de ansiedade pela qual esses pacientes passam pode vir a desencadear um ataque de pânico em algumas situações. Essa doença costuma se manifestar na infância ou no início da vida adulta e atinge 3% da população mundial.

Para saber entre as crianças se o diagnóstico é de fobia social é preciso avaliar o comportamento delas em ambientes que tenham outras crianças e não somente adultos. As manifestações de ansiedade nelas podem se apresentar de forma diferente se comparadas as dos adultos: crises de choro, acessos de raiva, indiferença ou afastamento diante de situações em que houver a presença de pessoas estranhas.

Veja também a contribuição do bullying no desenvolvimento da fobia social.

Em entrevista, Dr Abelardo Ciulla fala sobre os remédios indicados para o tratamento de fobia social.

 

 

O paciente costuma estar consciente de que o medo que ele sente ao ter que, por exemplo, falar ou comer em público é excessivo, mas não é algo do qual ele tenha controle. Contudo, a fobia social é algo bem comum e não costuma trazer consequências graves.

A fobia social pode ser diagnosticada como transtorno da personalidade esquiva em certos casos porque ambos apresentam alguns sintomas em comum. Quem sofre de fobia social é mais vulnerável diante das situações que despertam ansiedade.

O tratamento de fobia social mais indicado é o comportamental, que visa expor o paciente diante da situação que lhe causa medo e que, a longo prazo, ajuda a diminuir a ansiedade. Em algumas situações há o uso de remédios, como os antidepressivos, mas em função da quantidade de efeitos colaterais causados por eles, o tratamento psicoterapêutico continua a ser o mais recomendado.